Rua Vicente do Rego Monteiro, 170 - Grajaú - São Paulo / SP - (11) 5928-3660

Vasinhos e varizes: entenda a diferença entre eles

Você provavelmente já se percebeu como algumas veias mais evidentes do que o normal marcando a pele. Realmente, os vasinhos e as varizes são situações bem diferentes e que requerem cuidados distintos também.

Vasinhos

Os vasinhos são capilares localizados numa camada superficial da pele e que se dilatam. Bem fininhos, eles aparecem agrupados e são de cores avermelhadas ou arroxeadas. Não doem e podem pipocar em qualquer local do corpo e até no rosto.

Causas

Histórico familiar, traumas no local (batidas, machucados, cirurgias), aumento de hormônios femininos por uso de medicamentos ou gravidez, passar muito tempo em pé (algumas profissões estão mais propensas) e, em casos mais extremos, pode ser uma indicação de uma doença venosa.

Riscos

Caso os vasinhos estejam localizados em grande quantidade perto dos joelhos e tornozelos, é preciso um ultrassom para investigar a possibilidade de algum problema de circulação, mas é raro. Tirando essa hipótese, eles não apresentam maiores problemas de saúde. Acaba caindo em uma questão estética.

Tratamentos

Os vasinhos que não apresentam riscos à saúde são tratados em consultório com procedimentos estéticos, como laser, apenas por um motivo de aparência, já que esses capilares “doentes” não são essenciais para o bom funcionamento do nosso corpo. Mas o médico alerta que se o seu caso for genético, eles irão continuar aparecendo para o resto da vida.

 

Varizes

Diferentemente dos vasinhos que são formados por capilares, as varizes são veias que se dilatam por não estarem cumprindo bem a sua função de mandar o sangue de volta ao coração. São grossas, de cor azulada ou esverdeada e localizam-se nas pernas e pés. Causam dores e inchaços que podem desencadear problemas mais graves de circulação, como trombose.

Causas

Aqui, o histórico familiar também conta, assim como o aumento de hormônios, gravidez e profissões que exigem muito tempo em pé ou parado. Outros fatores de risco são o sedentarismo e o sobrepeso.

Riscos

Varizes não só causam dores e inchaços: elas também podem ser perigosas. Os sintomas podem evoluir desde cansaço das pernas e edema (inchaço) até a ocorrência de úlceras (feridas) e de tromboses e flebites (inflamação). Portanto, cuidado!

Varizes na Gravidez

Na gravidez, elas podem aparecer em quem nunca teve o problema e se agravar ainda mais nas mulheres que já convivem com elas.

Por mais que ter varizes não seja uma exclusividade de mulheres grávidas – 45% das brasileiras sofrem desse problema, segundo a Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular –, na gestação elas podem ganhar destaque. Isso ocorre porque, durante a gravidez, o corpo da mãe produz sangue a mais para sustentar dois organismos, o dela e o do bebê. Esse peso extra pressiona os vasos sanguíneos – principalmente os da perna, que precisam trabalhar contra a gravidade para levar todo o sangue extra de volta para o coração. Acrescente isso à pressão que o útero em crescimento coloca sobre os vasos pélvicos e ao aumento nos níveis de progesterona, que provocam um relaxamento na parede dos vasos, e você tem a receita perfeita para varizes por volta do fim do segundo trimestre.

Confira abaixo algumas medidas importantes para evitar ou amenizar o problema na gestação.

– Mantenha uma alimentação balanceada, para não ganhar peso em excesso e não piorar as varizes;

– Faça atividades físicas de baixo impacto. As melhores são as com água, como hidroginástica ou natação leve, que ainda fazem uma drenagem natural no corpo;

– Use meias elásticas, mediante prescrição médica, que auxiliam na prevenção;

– Outra dica são as massagens, que podem ser feitas à base de calêndula vermelha, e drenagem linfática manual, feita por especialistas em gestantes, que ajudam a reduzir os inchaços além de melhorar o fluxo sanguíneo;

– Embora haja um mito em relação a sapatos altos, segundo o especialista, o ideal é usar saltinhos entre 3 e 5 cm de altura, que estimulam a musculatura da panturrilha e ajudam na circulação do sangue nas veias;

– Não permaneça sentada ou em pé por mais de 40 minutos consecutivos. Tente revezar a posição para estimular o fluxo sanguíneo;

– Na hora do repouso, eleve as pernas.

Cuidado com as varizes previne doenças mais graves

As varizes causam danos estéticos, entretanto também podem causar problemas circulatórios e por isso devem ser avaliadas por médicos angiologistas. Em algumas ocasiões, as principais complicações das varizes surgem em função da falta de atenção à doença. Além da estética, é necessário prestar atenção aos sintomas mais comuns, como dor, inchaço, sensação de peso e cansaço nas pernas, ao sentir esses sintomas o paciente deve procurar imediatamente a ajuda de um médico para orientar o tratamento.

As varizes podem evoluir para insuficiência venosa crônica, úlceras venenosas, dermatite ocre e tromboflebite superficial.

Vejamos como isso pode afetar:

Insuficiência venosa crônica – no geral, mulheres de mais idade podem sofrer com o problema, que também traz relação com o número de gestações, a obesidade e o histórico familiar. Dor, coceira, formigamento, queimação, fadiga, cãibras musculares, inchaço, sensação de peso são os principais sintomas.

Úlceras venosas – Consequência do agravamento da insuficiência venosa crônica, as úlceras venosas são feridas abertas que exigem cuidado especializado, causam dor e são muito difíceis de curar.

Dermatite ocre – O sangue acumulado nas veias extravasa e mancha a pele das pernas com uma coloração acastanhada, semelhante à ferrugem.

Tromboflebite superficial – A famosa trombose é um termo que se refere à condição na qual há o desenvolvimento, nas veias das pernas e coxas, de um ‘trombo’, um coágulo sanguíneo, que entope a passagem do sangue.

Tratamento de Varizes – A Laser

O tratamento das varizes tem evoluído muito nos últimos anos. O laser é uma tecnologia que agrega valor e é uma nova forma de tratar as varizes. Ele atua no tratamento clínico das varizes mais superficiais ou como método cirúrgico nas veias mais internas. Sua forma de atuação é promovendo uma reação física, térmica, que aquece as varizes causando uma reação inflamatória, a qual acaba por eliminar o vaso doente.

 A cirurgia laser (endolaser) é indicada para tratar nas pequenas varizes (chamadas de telangectasias) e varizes maiores (reticulares), onde é aplicado uma luz diretamente sobre o vaso da variz.

Esse tipo de tratamento a laser é menos agressivo do que outros existentes e proporcionam uma recuperação bem mais cômoda e rápida. Imediatamente, já é permitido à paciente dirigir e retornar ao trabalho. No outro dia, é liberada para realizar exercícios físicos.

Dificilmente há complicações em algum tratamento a laser para varizes. Os métodos somente são contraindicados para gestantes e pessoas que tiveram trombose recentemente (quando o sangue coagula dentro do vaso, o que leva a uma obstrução da passagem do fluxo sanguíneo).

Tratamento de Varizes – Cirurgia

A cirurgia de varizes é uma dar formas de tratar as varizes. O tratamento das varizes por cirurgia é um procedimento padronizado e realizado há muito tempo, feito com frequência pela grande maioria dos cirurgiões vasculares. Existem várias técnicas cirúrgicas seguras que não prejudicam o fluxo sanguíneo para outras regiões do corpo, já que o sangue presente na veia defeituosa é redirecionado para veias saudáveis.

A cirurgia pode ser realizada em veias superficiais e também em veias mais profundas. Em qualquer uma delas, as varizes são totalmente removidas.

A cirurgia de remoção de veia safena é conhecida como a cirurgia tradicional. Os resultados estéticos da técnica convencional bem aplicada são bem satisfatórios e usualmente contam com a aprovação dos pacientes. A remoção cirúrgica convencional da safena tem ainda a vantagem de permitir a abordagem completa de todas as veias superficiais da virilha, o que reduz o risco de retorno da doença varicosa.

As desvantagens da cirurgia tradicional da veia safena é o pós-operatório, visto que é necessário suturas na perna, além de maior risco de hematoma e dores no processo de sua retirada, e o uso de peças de compressão diariamente.

Sintomas e Cuidados das Varizes

As varizes surgem ao longo das pernas e podem causar dor. São desconfortáveis e alteram a aparência das pernas, criando a impressão de que estão inchadas e com as veias levantadas.

Elas surgem devido as veias das pernas que reconduzem o sangue ao coração após ter irrigado os membros inferiores e possuem válvulas cuja finalidade é impedir o retorno do sangue aos pés pela ação da gravidade. Às vezes, essas válvulas não funcionam com eficiência e começam a apresentar dilatação e as válvulas não se fecham mais de forma eficiente. A partir daí o sangue passa a refluir e ficar parado dentro das veias. Isto provoca mais dilatação e mais refluxo. Esta dilatação anormal das veias leva à formação das varizes.

Geralmente as mulheres são as mais afetadas e somente 15% dos homens apresentam varizes nas pernas. Isso ocorre porque um dos principais fatores é a presença da progesterona que causa dilatação da veia e atrapalha o seu funcionamento.

Uma das principais reclamações é a estética, isso porque as veias ficam dilatadas, tortuosas e bem visíveis.  Além disso, outros sinais e sintomas podem estar presentes:

  • presença de veias azuladas e muito visíveis abaixo da pele;
  • agrupamentos de finos vasos avermelhados que alguns pacientes chamam de “pequenos rios e seus afluentes”;
  • queimação nas pernas e planta dos pés;
  • inchação, especialmente nos tornozelos ao final do dia;
  • prurido ou coceira;
  • cansaço ou sensação de fadiga nas pernas;
  • sensação de peso nas pernas;
  • “pernas inquietas”,
  • câimbras.

Para evitar o surgimento das varizes é importante praticar atividade física. Movimentar as pernas e fortalecer os músculos é indispensável para estimular a circulação sanguínea. Mesmo quando se trabalha sentado, é importante a cada 2 a 3 horas, movimentar as pernas para ajudar na circulação do sangue.

Todo cuidado é pouco, ao não serem tratadas as varizes podem contribuir para o surgimento da flebite e até mesmo trombose.

Na próxima semana, falaremos sobre os tratamentos das varizes.