Rua Vicente do Rego Monteiro, 170 - Grajaú - São Paulo / SP - (11) 5928-3660

Cuide da sua saúde no frio

4 DICAS PARA CUIDAR DA SUA SAÚDE NO TEMPO FRIO

Muita gente espera essa época do ano porque prefere um clima mais ameno, o que é raro na maioria das cidades de um país tropical como o Brasil. No entanto, é importante ficar de olho nos hábitos que adotamos e, por isso, é fundamental conhecer algumas dicas para cuidar da saúde no tempo frio.

Nosso organismo tem algumas necessidades diferentes e também reage de forma distinta quando a temperatura cai, e é imprescindível que você se lembre disso para evitar qualquer tipo de problema. Ficou curioso? Então confira o conteúdo a seguir e aprenda um pouco mais sobre o tema!

1. Beba bastante água

A primeira dica para cuidar da saúde no tempo frio é beber bastante água. Sabemos que isso é importante em qualquer época do ano, mas quando estamos nos dias quentes, acabamos nos hidratando de forma natural. Com a temperatura mais amena, não é raro que a gente acabe sonegando a hidratação, e isso é um problema.

Os líquidos são fundamentais para um bom metabolismo e previnem também o ressecamento da pele, que pode ocorrer em cidades com uma umidade relativa do ar mais baixa.

2. Deixe a casa ventilada

Outro hábito muito comum (e errado) que muitas pessoas adotam nos dias frios é fechar todas as portas e janelas de casa. Isso pode até deixar a sua casa um pouco mais aquecida e trazer a sensação de bem-estar, mas também favorece o surgimento de diversos problemas bastante incômodos por conta da má circulação de ar.

Ao contrário do que muitos pensam, as doenças típicas de inverno como a gripe e os resfriados não aumentam por conta do frio, mas em função da aglomeração de pessoas em ambientes fechados e da ventilação inadequada.

Fuja dessa tentação e não faça do seu imóvel uma caixa fechada. Procure deixar pelo menos uma janela aberta para que o ar circule com mais facilidade.

3. Hidrate a pele

A pele também sofre no inverno, e as temperaturas mais baixas demandam produtos diferenciados e específicos para cuidar da saúde do rosto e do corpo. O ideal mesmo é consultar um dermatologista que possa fazer uma avaliação e recomendar as substâncias adequadas a você.

Se a sua pele é mais oleosa, o indicado é usar cremes oil free, ou seja, livres de óleo, feitos à base de gel. Se a sua pele é mais seca, você precisa de componentes como a vitamina C e ureia. Já uma pele muito sensível precisa de versões hipoalergênicas dos produtos.

Para todo tipo de pele, o filtro solar é indispensável.

4. Cuide da sua alimentação

A alimentação também é muito importante para cuidar da sua saúde no tempo frio. É preciso ter atenção nesse aspecto, pois as temperaturas mais baixas são um verdadeiro incentivo para que a gente caia em tentação e aposte em pratos muito calóricos — e também acabe consumindo bebidas alcoólicas em excesso, o que não é saudável.

Aproveite essa época para saborear um bom vinho tinto com moderação, pois ele contém substâncias protetoras para o coração e para os vasos sanguíneos. As comidas típicas da estação, como o fondue, podem ser apreciadas desde que você coma apenas no final de semana ou em uma data específica.

 

Vasinhos e varizes: entenda a diferença entre eles

Você provavelmente já se percebeu como algumas veias mais evidentes do que o normal marcando a pele. Realmente, os vasinhos e as varizes são situações bem diferentes e que requerem cuidados distintos também.

Vasinhos

Os vasinhos são capilares localizados numa camada superficial da pele e que se dilatam. Bem fininhos, eles aparecem agrupados e são de cores avermelhadas ou arroxeadas. Não doem e podem pipocar em qualquer local do corpo e até no rosto.

Causas

Histórico familiar, traumas no local (batidas, machucados, cirurgias), aumento de hormônios femininos por uso de medicamentos ou gravidez, passar muito tempo em pé (algumas profissões estão mais propensas) e, em casos mais extremos, pode ser uma indicação de uma doença venosa.

Riscos

Caso os vasinhos estejam localizados em grande quantidade perto dos joelhos e tornozelos, é preciso um ultrassom para investigar a possibilidade de algum problema de circulação, mas é raro. Tirando essa hipótese, eles não apresentam maiores problemas de saúde. Acaba caindo em uma questão estética.

Tratamentos

Os vasinhos que não apresentam riscos à saúde são tratados em consultório com procedimentos estéticos, como laser, apenas por um motivo de aparência, já que esses capilares “doentes” não são essenciais para o bom funcionamento do nosso corpo. Mas o médico alerta que se o seu caso for genético, eles irão continuar aparecendo para o resto da vida.

 

Varizes

Diferentemente dos vasinhos que são formados por capilares, as varizes são veias que se dilatam por não estarem cumprindo bem a sua função de mandar o sangue de volta ao coração. São grossas, de cor azulada ou esverdeada e localizam-se nas pernas e pés. Causam dores e inchaços que podem desencadear problemas mais graves de circulação, como trombose.

Causas

Aqui, o histórico familiar também conta, assim como o aumento de hormônios, gravidez e profissões que exigem muito tempo em pé ou parado. Outros fatores de risco são o sedentarismo e o sobrepeso.

Riscos

Varizes não só causam dores e inchaços: elas também podem ser perigosas. Os sintomas podem evoluir desde cansaço das pernas e edema (inchaço) até a ocorrência de úlceras (feridas) e de tromboses e flebites (inflamação). Portanto, cuidado!

Varizes na Gravidez

Na gravidez, elas podem aparecer em quem nunca teve o problema e se agravar ainda mais nas mulheres que já convivem com elas.

Por mais que ter varizes não seja uma exclusividade de mulheres grávidas – 45% das brasileiras sofrem desse problema, segundo a Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular –, na gestação elas podem ganhar destaque. Isso ocorre porque, durante a gravidez, o corpo da mãe produz sangue a mais para sustentar dois organismos, o dela e o do bebê. Esse peso extra pressiona os vasos sanguíneos – principalmente os da perna, que precisam trabalhar contra a gravidade para levar todo o sangue extra de volta para o coração. Acrescente isso à pressão que o útero em crescimento coloca sobre os vasos pélvicos e ao aumento nos níveis de progesterona, que provocam um relaxamento na parede dos vasos, e você tem a receita perfeita para varizes por volta do fim do segundo trimestre.

Confira abaixo algumas medidas importantes para evitar ou amenizar o problema na gestação.

– Mantenha uma alimentação balanceada, para não ganhar peso em excesso e não piorar as varizes;

– Faça atividades físicas de baixo impacto. As melhores são as com água, como hidroginástica ou natação leve, que ainda fazem uma drenagem natural no corpo;

– Use meias elásticas, mediante prescrição médica, que auxiliam na prevenção;

– Outra dica são as massagens, que podem ser feitas à base de calêndula vermelha, e drenagem linfática manual, feita por especialistas em gestantes, que ajudam a reduzir os inchaços além de melhorar o fluxo sanguíneo;

– Embora haja um mito em relação a sapatos altos, segundo o especialista, o ideal é usar saltinhos entre 3 e 5 cm de altura, que estimulam a musculatura da panturrilha e ajudam na circulação do sangue nas veias;

– Não permaneça sentada ou em pé por mais de 40 minutos consecutivos. Tente revezar a posição para estimular o fluxo sanguíneo;

– Na hora do repouso, eleve as pernas.